21.11.05

Provérbios do Inferno




Se você nunca escutou Mercenárias, por favor, corra arrumar alguma coisa delas.

Sobre William Blake, incomoda, como todo bom visionário.

"No tempo da semeadura, aprende, na colheita ensina, no inverno desfruta.
Conduz o teu carro e teu arado por sobre os ossos dos mortos.
A estrada do excesso leva ao palácio da sabedoria.
A prudência é uma solteirona rica e feia cortejada pela impotência.
Quem deseja mas não age gera pestilência.
O verme partido perdoa o arado.
Mergulha no rio quem gosta de água.
O tolo não vê a mesma árvore que o sábio
Aquele cujo rosto não se ilumina jamais há de ser uma estrela.
A eternidade anda apaixonada pelas produções do tempo.
A abelha atarefada não tem tempo para tristezas.
Os alimentos sadios não são apanhados com armadilhas ou redes.
Toma do número do peso e da medida em tempos de escassez.
Um cadáver não vinga as injúrias.
O ato mais sublime é colocar outro diante de ti.
Se o louco persistisse na sua loucura, acabaria se tornando um sábio.
A loucura é o manto da velhacaria.
O manto do orgulho é a vergonha.
Os tigres da ira são melhores que os cavalos da educação.
As prisões se constroem com as pedras da lei.
Os bordéis com os tijolos da religião.
O orgulho do pavão é a glória de Deus.
A luxúria do bode é a bondade de Deus.
A fúria do Leão é a sabedoria de Deus.
A nudez da mulher é a obra de Deus.
O rugir do leão, o uivar do lobo, o furor do mar tempestuoso e a espada destruidora são fragmentos da eternidade grande demais para os olhos humanos.
A raposa condena a armadilha, não a si própria.
Os júbilos fecundam, as tristezas geram.
Que o homem use a pele do leão, a mulher a lã da ovelha.
O pássaro um ninho, a aranha uma teia, o homem a amizade.
O que hoje se prova outrora era apenas imaginado.
A ratazana, o camundongo, a raposa e o coelho olham as raízes.
O leão, o tigre, o cavalo e o elefante olham os frutos.
A cisterna contém, a fonte derrama.
Um só pensamento preenche a imensidão.
Dize sempre o que pensas e o homem torpe te evitará.
Tudo que se pode acreditar já é uma imagem da verdade.
A águia nunca perdeu tanto tempo como quando resolveu aprender com a gralha.
Da água estagnada espera veneno.
A raposa provê para si, mas Deus provê para o leão."

POEMA DE WILLIAM BLAKE
TRADUÇÃO - PROF. PAULO VIZIOLI
SELEÇÃO DOS VERSOS - ROSÁLIA
MÚSICA - MERCENÁRIAS

5 comentários:

FER disse...

Saudades honey.....
Acho q tô bem....

Candy e o Vox q nos aguardem!

Bjos

Alisson da Hora disse...

provérbios...tenho um monte de provérbios meus, infames, nem vale a pena tentar deixar em algum lugar...capaz de eu ser apedrejado...

Mme. A. disse...

Nunca ouvi esta música das Mercenárias exatamente. Aliás, outro dia as vi cantando em algum programa destes da TV. Nem sei qual direito.

Amo estes provérbios. A primeira vez que li ainda estava nos Estados Unidos, e fui acometida de uma necessidade louca de tê-los. Então acabei correndo por todos os cantos e livrarias para encontrar este livrinho do William Blake. Na minha cabeça seria uma coisa tão grandiosa, para encher minha prateleira e deixar em exposição para os vizinhos. Em minhas mãos era um livro tão pequeno, que para os não-iniciados não passaria de livro para crianças, cheio de desenhos estranhos.

Mas está lá, na prateleira, ocupando mais espaço na minha cabeça que fisicamente.

"The Marriage of Heaven and Hell" se não me engano. Cito algumas linhas deste livro no meu profile do fotolog.

:/

Bonequinha de Luxo disse...

Eu conheci o texto através da música, mas fo o suficiente para fazer com que eu corresse comprar o livro.
Além de ter muito a ver com uma boa parte da minha vida, é uma excelente literatura.

Mme. A. disse...

O livro é muito legal mesmo. Como disse, fica lá guardadinho na minha estante. Fala muitas coisas certas, vira e mexe penso a respeito de algumas frases que li ali e fico horas matutando.

:-**