24.8.05

I don't belong here...

Ainda sobre a questão de pertencer...
Como Clarice, não pertenço.
Não pertenço a instituições, clubes, tribos. Meu ser não cabe em algo que o delimite.

Mas, muito mais do que não pertencer, não me encaixo.
Não me encaixo nesse planeta maluco, onde as pessoas fazem mal umas às outras, com a melhor das intenções.
Nessa nova vida que escolhi para mim (já não posso mais culpar o mundo), percebo constantemente como as escolhas que faço não se adaptam ao que é socialmente referendado.

Sim, sou intelectual fútil, como já afirmei, mas mesmo do auge da minha futilidade, continuo achando que algumas coisas são importantes e deveriam ser discutidas, esclarecidas, exploradas, levadas em consideração.

Gosto de ensinar ao meu filho que o mundo depende de como agimos nele. Que devemos ser honestos, verdadeiros, sinceros.
Que não se deve brigar, jogar lixo na rua, maltratar quem quer que seja. Que cuidar do seu corpo é bom, comer bem faz bem e que carinho é a melhor coisa do mundo.
São situações cotidianas e não adianta apenas falar, é preciso ser exemplo.

Por isso tive que abrir mão do meu lado inconseqüente e prestar muita atenção às minhas atitudes, para que não conflitassem com as minhas palavras.
Não é fácil, confesso. Não existe perfeição e sou prá lá de imperfeita.

Mas durmo tranqüila sabendo que ele está aprendendo valores que, se não estão mais em uso, não deixaram de ser importantes .
Como ele vai usá-los, só o tempo vai dizer...

2 comentários:

abomino Baudelaire querido disse...

entendo, eu tenho uma filha e principalmente agora estou tendo que falar de mundo com ela. e ah...é um assunto e tanto...não é bem como "criação" é mais como você colocar um pedaço garantido neles e do resto , do geral eles vão se encarregar, desculpa o comentário técnico , mas é que filhos...sempre deixam a gente mais direta!

Anônimo disse...

Maíra...esse teu último texto tem a ver com o meu penúltimo...A gente sempre meio perdido no espaço, né?E o mais engraçado é que as pessoas extremamente afins estão longe umas das outras...Maquinações da nave-mãe?Acho que sim...Passa no meu blog, tem post novo...espero que gostes!Beijo grande!Álisson